quinta-feira, 28 de maio de 2009

SINDSERVI firma parceria com a FTC EAD

Atenção, servidores e servidoras municipais, seu sindicato firmou mais uma parceria. Agora com a FTC EAD. Com a oficialização do convênio, os filiados e seus dependentes diretos terão mais uma oportunidade para ingressar na universidade. Esta parceria facilitará no pagamento do curso, com direito entre 10% a 20% de desconto nas parcelas mensais em toda rede da FTC EAD. Atualmente na nossa cidade os cursos oferecidos são: Bacharelado: Serviço social, Administração e Ciências Contábeis; Licenciatura: Pedagogia, Biologia, Letras, História, Matemática e Geografia; Superior Tecnológico: Segurança no Trabalho, Gestão Ambiental, Processos Gerenciais e Logística. As inscrições do vestibular estão abertas até dia 29/05, as provas serão realizadas no dia 07/06.Para maiores informações os (as) servidores (as) e dependentes podem ligar para o 0800 – 284 3220 ou entrar em contato com os diretores na sede do SINDSERVI, ou pelo fone 3251-4170.

domingo, 24 de maio de 2009

PROPOSTA DE 6% NÃO CONVENCE DIRETORIA DO SINDSERVI

Na terça - feira, dia 19/05 as 15:00h., após diversas solicitações, a diretoria do SINDSERVI teve o seu primeiro contato com o prefeito Solon Ribeiro (do PV) para discutir a reposição salarial dos servidores municipais. Estiveram presentes também o secretário de Administração, Marivaldo Tanan, o assessor Jurídico, senhor Ilson, e o coordenador interno do Gabinete. Nesta reunião apenas os pontos da clausula econômica foram discutidos, a pedido do prefeito. A outra, mais ampla, ficou para uma próxima rodada de negociação. No encontro, de início, apesar do esforço do assessor jurídico em querer puxar o tapete daquela diretoria, desqualificando sua representatividade, pois quem estava na frente da negociação era o vice-presidente João de Deus, diante da ausência da presidente Raimunda Lopes Santos, os diretores se impuseram alertando que o mais importante não eram as questões burocráticas, mas sim as necessidades urgentes dos servidores. Dos principais pontos, como reposição salarial, a proposta da prefeitura girou em torno de 6%, onde o prefeito alegou que o percentual era justificável diante do caos instalado na cidade anteriormente, diante do orçamento que não é da sua gestão e diante da própria inflação. Apesar do esforço de toda a diretoria, solicitando uma revisão do percentual, o alcaide e seu grupo permaneceram com a mesma decisão. Quanto a clausula que solicita aumento do incentivo de sala de aula, de 14% para 20%%, o perfeito considerou o percentual já aplicável satisfatório, o que para a diretoria significa apenas falta de compromisso com a educação, vez que o Estado autoriza até 38%. Neste caso, a diretoria do SINDSERVI salientou na reunião que o Município apenas copia do Estado medidas que são desfavoráveis ao servidor, e as que beneficiam são apenas descartadas. Quanto à mudança da data - base, neste ano, de maio para fevereiro, equiparando ao período da reposição do salário mínimo, ocorrida neste mês, a gestão em nada cedeu, malogrando conceder algo que é também de direito daqueles que estão acima (diga - se muito pouco) do piso do mínimo. Por fim, na clausula que reivindica o abono da reposição dos meses de greve (outubro e novembro de 2008), a gestão, depois de muita cautela e pressão da diretoria, propôs fazer uma análise. Espera-se que pelo menos mais este item seja atendido, pois, para a diretoria do SINDSERVI, apesar da gestão atual ser fruto da coligação PV - PT- PCdoB, em nada se aproxima ao atendimento dado ao pleito dos (as) trabalhadores (as), como outras gestões desastrosas deram. A despeito da desatenção do poder executivo quanto às reais necessidades dos servidores, a diretoria do SINDSERVI garante que em breve, no próximo encontro, estará retomando as clausulas discutidas, pois seus representantes consideram a PROPOSTA DE 6% INDECENTE diante das perdas salariais históricas que os servidores de Itaberaba foram acometidos antes do ano de 2003, e atualmente face à manobra perversa de que a inflação não ultrapassa a casa de 1 dígito; basta ver os aumentos de preço, às vezes de até três vezes em um ano. A proposta do governo seguirá agora para análise dos servidores em assembléia a ser convocada especificamente para este fim, antes da segunda rodada de negociação.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

CONVITE AOS TRABALHADORES DE ITABERABA

O SINDSERVI INFORMA: ( Clique na imagem) Os servidores municipais devem participar, pois o interesse maior é o nosso. Servidores, participem!

terça-feira, 12 de maio de 2009

Diretoria do SINDSERVI denuncia a precariedade das ruas de Itaberaba

As  denúncias em relação as questões trabalhistas  não é o  único motivo da existência do SINDSERVI, pois, tem ele , através da sua diretoria e filiados, o papel fundamental de evidenciar  diversas criticas sociais, assim  como sempre fizemos: a questão da qualidade na  educação,da merenda e do transporte escolar, funcionamento dos serviços da saúde, desvio de verbas, etc; aqui  denunciamos e lembramos  a situação precária das ruas da cidade. 

Até então com ruas pavimentadas a  paralelepípedos, Itaberaba,  apesar da nova sinalização de trânsito, que já é um avanço, se depara com  suas vias públicas cedendo, afundando sob os pés  do itaberabense e sua indiferença. A expansão do calçamento deu-se no início da década de 1980, com pelos menos duas gestões centrando seus esforços na urbanização, e de lá para cá, além de abandonarem o trabalho de pavimentação, seja com paralepípedos ou asfalto, as gestões seguintes pouco contribuíram para conservar as  ruas da nossa cidade.

 Deste modo, transeuntes e motoristas se deparam cotidianamente com diversos percalços, o que causa transtorno de toda ordem, em especial para os motoristas, que regularmente precisam fazer revisão de seus autos. Outro fato é que esta situação aumenta o risco de acidentes, pois os motoristas de carros, motos e caminhões no afã de fugirem aos buracos são forçados a fazerem manobras perigosas o que pode ( e às vezes acontece) gerar acidentes seguidos de morte. Neste sentido, não muito diferente, os quebra-molas, em excesso na cidade, longe de ser um auxilio, representam outro perigo à comunidade, pois, sendo todos mal sinalizados, contribuem também para acidentes, principalmente para os motoqueiros e visitantes, que conhecem pouco as “armadilhas das nossas  ruas ”.

Para nós não se justifica a indiferença do próprio itaberabense a esta realidade, e principalmente  das autoridades.  Cabe a elas, a obrigação de zelar pela vias públicas, uma vez que são as guardiãs do patrimônio público, e principalmente dos recursos financeiros rateados entre os contribuintes para manterem a cidade funcionando plenamente. O descaso somente causam prejuízo de ordem financeira aos munícipes, causam risco de vida, além de enfear e promover uma péssima impressão da nossa cidade e de seus moradores. 

Fica aqui registrado o protesto e apelo deste sindicato e sua diretoria,  preocupada com  as condições precárias das ruas e avenidas de Itaberaba, e seu efeito sobre uma população desavisada, que pouco reivindica dos poderes públicos ações para  sanar problemas desta natureza.Assim, quando se faz algo, ou seja, quando as obras saem do papel,  às vezes não representam soluções interessantes para o cidadão pois são pessimamente planejadas ; espera-se que as   novas ações vinculadas à urbanização tenham de fato planejamento e que se reflitam  em verdadeira melhoria para a cidade e não mais em  um  novo transtorno. 

sexta-feira, 1 de maio de 2009

“Doa a quem doer”, o SINDSERVI buscará garantir os direitos dos servidores municipais

Outdoor denuncia descaso da prefeitura de Itaberaba

Dando continuidade à luta pela reivindicação salarial de 2009, e longe de ter um contato com o prefeito Solon Ribeiro (Partido Verde), nesta semana a diretoria do SINDSERVI viabilizou uma série de ações para mobilizar a sociedade e mostrar a sua (e dos servidores municipais) indignação diante do descaso por parte do Município no tocante às questões do funcionalismo.

Na quinta-feira (30/04), a diretoria se dirigiu a feira-livre e ali, distribuindo a carta aberta à população, denunciou o total desinteresse do prefeito em atender a diretoria do SINDSERVI, enquanto isso, fazendo uso do carro de som, o vice-presidente do Sindicato, João de Deus, fez seu discurso em relação à impaciência da entidade sindical e ao descrédito em relação ao governo. Dali, o grupo seguiu para a praça central, e a panfletagem se concentrou nos bancos, no comércio local e junto aos cidadãos que perambulavam pelo centro. No ensejo, o vice-prefeito, Jorge do Feijão, foi também brindado com a carta onde a Administração ao qual faz parte era denunciada.

Na sexta-feira, no 1º de Maio, a diretoria do SINDSERVI marcou presença na Rádio Rosário Fm, no Programa A Voz da Comunidade, ao meio-dia, onde, os diretores, além de fazerem um breve histórico da data, expressaram a sua opinião em relação às falhas da gestão e explicaram o motivo de tanta agitação, pois os servidores agora (e sempre) são vítimas da inflação, do aumento de preços e de outras perversidades que sempre assinalaram a vida destas pessoas, pois a cada gestão um grupo da administração deixa prejuízos irremediáveis, em que sequer a Justiça é capaz de reverter.

Este dia também foi marcado com um outdoor na entrada da cidade, que faz uma crítica ao 1º de Maio, pois, para a diretoria não há muito o quê se comemorar, desde quando a prefeitura, tradicionalmente, subtrai os direitos dos servidores: o calote do ano de 2000, sem o devido pagamento do salário de dezembro e o décimo – terceiro denuncia isto; o calote na gestão de Washington Neves, quando face à greve, cortou o salário da categoria mais inquietante e desafiadora, os servidores da Educação (meses: novembro e dezembro de 2008); e ainda foi denunciado o não pagamento do terço de férias (Pessoal da Educação) e 50% do décimo - terceiro e salário de novembro, do ano passado de alguns setores da Saúde (CEMUR, CAPS, CEO).

Todos estes fatos, acumulativos, foram denunciados, e apesar do esforço da diretoria do SINDSERVI, mesmo com a gestão de Solon Ribeiro, que é formada por elementos ligados aos trabalhadores – Partido Verde, Partido dos Trabalhadores e Partido Comunista do Brasil -, continuam sendo objetos de descaso, o que significa dizer - mas o grupo do governo não assume - , que serão ignorados, caso a entidade sindical não intervenha. Pode se esperar isto de uma gestão com esta origem?

Enquanto a pergunta não for respondida, a diretoria promete que não dará trégua, e "doa a quem doer”...estará se esforçando para garantir os direitos dos servidores municipais.