quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Servidores municipais paralisarão suas atividades por 24 horas

Os servidores municipais paralisarão suas atividade por mais 24 horas nesta quinta-feira (1º/10). Serviços como os da Educação, PSFs, Hospital pararão outras vez. Nesta mesma tarde, o SINDSERVI e servidores realizarão mais uma assembleia para discutirem os avanços e avaliarem o movimento paredista. Serviços emergenciais como os da Saúde operarão com apenas 30% de seu efetivo. Demais setores operarão apenas com os servidores contratados.
 As paralisações de terça-feira (29) e quinta-feira (1º/10) são/serão resultados da ineficácia da prefeitura que autorizou a reposição salarial em 7% , mas não definiu, em lei, a forma do pagamento do retroativo ao mês de maio. Apenas propos pagar o retroativo a partir de janeiro a junho de 2010. Proposta imediata rechaçada pelos servidores municipais em Assembleia, que ainda contou com representantes da Prefeitura, pois os servidores querem o retroativo a partir de setembro e regularização até dezembro, no mais tardar. Outros fatos motivam as paralisações: abusos da chefia da guarda municipal, decreto que autoriza suspensão de horas extras, diferença de carga horária e insalubridade.
Segundo o diretor do Sindicato dos Servidores Municipais de Itaberaba, João de Deus, as negociações com a prefeitura não garantiram o pagamento do retroativo no ano atual, e tampouco solucionou o impasse com a guarda municipal ou garantiu a suspensão do decreto 218. Mas segundo o presidente a paralisação da terça-feira foi positiva porque pôde agregar servidores de todas as categorias, que saíram as ruas de forma pacífica para reivindicar seus direitos; contaram com o apoio do Sindicato dos Bancários, populares e estudantes.
 Lamentável foi a ação da polícia militar, que a pretexto de “liberar as vias de acesso” tentou coibir a manifestação. Neste dia os servidores protestaram contra os excessos dos policiais militares do 11ª BPM, que, armados de “fanta”, e prontos para enfrentarem os manifestantes, foram ignorados totalmente sob vaias e protestos dos populares. Alegavam os militares que o movimento no largo em frente a agência da Caixa Econômica estava atrapalhando o trânsito , mas cabe registrar que as demais vias, todas estavam liberadas , e que o mesmo local que a policia reivindicava, sempre foi um espaço usado para apresentação de eventos com barracas e toldos, e de protesto dos servidores em manifestações posteriores, e neste sentido nunca houve intervenção da polícia.
Ao fim de tudo, após contornar o incidente com a polícia militar,e enfrentando os mecanismos utilizados pela prefeitura para intimidar os manifestantes, servidores e diretoria do SINDSERVI puderam comemorar a manifestação como ponto positivo, diante do desespero dos membros da gestão que foram a Rosário Fm tentando desvalorizar o movimento, mas sem êxito.
 Hoje quarta-feira (30) a manifestação foi divulgada pelo Programa Balanço Geral, da TV RECORD ITAPOAN; mesmo com a tentativa da retirada do canal do ar, os populares da nossa cidade puderam acompanhar o protesto dos servidores.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

TROPA DE ELITE NA ROSÁRIO FM É IGNORADA

Hoje segunda-feira (28) às 12h20min a comitiva da prefeitura esteve na Radio Rosário Fm, no Programa A voz da Comunidade, para explicar à população a crise instaurada no Município com a paralisação dos servidores de 24 horas, amanhã terça-feira. Os secretários de Finanças, Manoel Vaz, Administração, Alberto Leal, a secretária de Saúde, Maria, e o Assessor da Prefeitura João Albino Mascarenhas tentaram explicar os motivos que levaram a gestão João Almeida a quebrar os acordos entre Município e SINDSERVI, entre eles o pagamento de retroativo salarial. Informa a Prefeitura que a liberação do retroativo (data-base - maio de 2009) somente será entre janeiro a junho de 2010. Em tom sofrível os secretários tentaram justificar tal ato com base no fato de haver rejeição de contas, pois para eles, mesmo sem reposição salarial acima do mínimo até o presente mês, os gastos com pessoal já extrapolaram o limite legal preconizado em lei Se esforçaram para convencer os funcionários a não aderirem às paralisações (terça-feira e quinta feira), pois estavam ainda em “negociação com o sindicato e apesar da ex-gestão ter ignorado a reivindicação, a gestão atual sensibilizada estaria pagando este mês o terço de férias em três vezes”, alegou o secretário de Finanças. Falando a mesma língua, os demais secretários ainda apelaram ao fato de que o sindicato na ex-gestão não tinha se manifestado através de paralisações para reivindicar os direitos, agora apesar dos avanços apela para esta estratégia. Diante do canto do cisne, o presidente do SINDSERVI, João de Deus, fez questão de dar a resposta no ar. Antes, porém, foi barrado na rádio pela tropa de elite da gestão, que tentou se justificar mas sem nenhuma proposta concreta para resolver as pendências dos servidores e atender as reivindicações do sindicato : que seria pagar o retroativo ainda este ano, a partir de setembro; revogar o Decreto criminoso que suspende horas extras, adicional noturno, insalubridade, etc., e orientar o chefe da guarda para se ater com respeito junto aos seus subordinados. O presidente do SINDSERVI no direito da resposta convocou os servidores para se manterem atentos e firmes no propósito, pois a decisão na assembléia não poderia ser descartada diante do “falatório vazio" do corpo de elite da prefeitura. Que as reivindicações eram justas e deviam ser compartilhadas agora com o povo itaberabense nas ruas da cidade. Pois somente assim poderia haver de fato uma retomada nas negociações com mais seriedade, e não da forma que a gestão estava procedendo, de modo incoerente diante da gravidade do caso, pois a cada dia os servidores perdem o poder de compra onde aqueles que recebem acima do salário mínimo se aproximam dos daqueles que são assalariados.
Esclareceu ainda que o SINDSERVI nunca fora omisso nas sua ações, que independentemente dos grupos políticos no poder, sempre pautou na defesa dos trabalhadores, tanto assim que na gestão de inicio do ano, do ex-prefeito cassado Solon Ribeiro,os servidores paralisaram suas atividades mas sem resultados efetivos , apesar de ser um governo da coligação PV-PT-PCdoB.

domingo, 27 de setembro de 2009

A ROMA ANTIGA É AQUI!

Destruíram parte do Mercado Velho da nossa cidade. O ato foi feito nesta sexta-feira (25/09) à noite, um ato perverso e mesquinho. Ignóbil para ser sincero. O senado romano em época de crise ou de ameaça ao Império, às escondidas, à noite, consagrava um general, com poderes ditatoriais. Afinal era um ato covarde, retirar do povo o poder e atribuir a um único homem, isto não podia ser feito nas luzes do dia sob os olhares dos plebeus e patrícios.Em Itaberaba não se chega a tanto, mas bem que está próximo. Moradores se sentiram indignados com a derrubada da parede do Mercado Velho, voltada para a agência da Caixa Econômica, transformando o espaço numa “grande garagem” a céu aberto...Leia na íntegra: http://historiacampus13.blogspot.com/

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

SERVIDORES PARALISARÃO ATIVIDADES E AGORA?

Após assembléia tumultuosa, hoje , 24/09, às 16h30min horas na sede das Comunidades Zumbi dos Palmares, os servidores decidiram por paralisar as atividades na terça-feira (29) e quinta-feira (1º/10) em protesto a manutenção do Decreto 218/09 que suspende o pagamento de horas-extras , adicional noturno, insalubridade, diferença de carga horária e outros vantagens e ainda face ao fato de que o Município , de forma ardilosa, propõe pagar o retroativo salarial (data-base: maio) somente a partir de janeiro (2010) até junho. O SINDSERVI convocou a assembléia extraordinária para discutir procedimentos em relação às ações desmedidas e deslavadas da gestão. Para espanto da diretoria e dos servidores, secretários de Administração e Finanças, e ainda o Assessor de Governo senhor João Albino se fizeram presente à assembléia. Todos tiveram o direito à palavra. O presidente João de Deus abriu a assembléia destacando a morte dos jovens professores de Porto Seguro, sindicalistas, assassinados de forma brutal, caracterizando a perseguição aos trabalhadores organizados, em seguida, fez a leitura da pauta e explicou o motivo da assembléia. No decorrer do encontro, os representantes do governo tentaram justificar as medidas do governo, mas foram duramente rechaçados pelos servidores municipais. Após as explicações vazias dos membros do governo, justificando que o decreto apenas servia para posteriormente regularizar os direitos de insalubridades e outros mais, e de explicar que o governo não poderia pagar o retroativo ainda este ano, pois isto iria comprometer gastos com pessoal e a prestação de contas do governo, os servidores, depois de ouvido o presidente do SINDSERVI, deliberaram enfaticamente pela paralisação dos serviços. O senhor João Albino, ainda de forma atrapalhada tentou protestar contra a decisão das categorias presentes, pois para ele não havia quorum e a votação deveria ser secreta. Reivindicação derrubada pelo presidente do SINDSERVI, João de Deus, alertando os servidores que somente eles poderiam deliberar, independentemente do que pensavam pessoas estranhas à organização dos trabalhadores. Mostrou ainda sua indignação quando lembrou que todos ali eram pais de família, com salários reduzidos, onde a gestão tinha apenas como principio assegurar seus interesses independente da situação do funcionalismo público e dos seus diversos prejuízos acarretados no decorrer dos anos, com outros gestores. Muitos servidores fizeram uso da palavra incentivando os colegas a aderirem às paralisações, ficando certo que o movimento se justifica primeiramente na busca pelo cancelamento do decreto, depois pelo o direito de ter o pagamento do retroativo ainda este ano vez que em 2010 os recursos financeiros serão para cobrir despesas daquele ano e não de período anterior. Ficou decidido a realização de manifestações pelo centro da cidade para denunciar a situação junto à população e comércio local. Deste modo espera-se que o “gestor reveja” suas ações evitando até mesmo uma greve, caso os fatos não sejam regularizados. Com este consenso, setores da Educação, Saúde e vigilância serão atingidos, cabe agora saber como o governo vai lidar com o problema ( criado por ele mesmo) para não atrapalhar ainda mais a vida dos usuários.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

FATO LAMENTÁVEL PARA OS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO

A diretoria do SINDSERVI e servidores municipais registram neste blog solidariedade às famílias dos professores Elisney, 31 anos, e Álvaro Henrique, 28 anos, (Presidente APLB-Sindicato / Porto Seguro) assassinados. Conforme nota da APLB-SINDICATO, com a morte dos dois jovens, perde a educação, perde o sindicalismo. Perde a família, e toda a categoria, a energia, a vida de dois jovens que só pensavam num mundo melhor onde o ensino público fosse digno, de qualidade e gratuito (Mais detalhes acesse: http://www.aplbsindicato.org.br/conteudo.php?ID=634) .

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

DIRETORIA DO SINDSERVI NA LUTA PELO PLANO DE CARREIRA DA SAÚDE E REVOGAÇÃO DO DECRETO 218/09


A gestão João Almeida Mascarenhas Filho surpreendeu a todos quando baixou um decreto perverso em 31 de agosto que cancela todas as vantagens (insalubridade, adicionais noturnos, horas-extras, periculosidade, etc.) do servidor.
Com isto, o SINDSERVI, de início convocou os vigilantes, porteiros e pessoal da guarda municipal, para tratar do assunto e buscar meios para cancelamento do referido documento.
 Na reunião esteve presente o senhor Alberto Leal, secretário Municipal de Administração, interino, que tentou explicar o motivo do decreto, sem, entretanto, convencer os que ali estavam. Afirmou que a medida era provisória, para isso estaria providenciando uma auditoria para a análise e regularização das vantagens.
 A diretoria do SINDSERVI e servidores enfaticamente exigiram a regularização imediata dos direitos e o cancelamento daquele ato abusivo, pois, caso houvesse a necessidade de uma auditoria, esta deveria partir da DRT, a pedido do Sindicato ou da própria prefeitura, e somente após a análise dos casos, é que se poderia efetivar o corte para aqueles que não fazem jus aos referidos direitos. Com base neste ato nocivo ao servidor, a entidade sindical propôs encontros setoriais em PSFs, Hospitais e demais setores da saúde, como o CET, o CEMUR, CEO e o CEREST nos dias 15 a 30 de agosto para, além de discutir formas viáveis de combate à ação do governo, discutir a elaboração do projeto do Plano de Cargos e Salários da Saúde, aliás, uma proposta negociada junto à prefeitura neste ano como ponto de pauta de reivindicação, mas que precisa virar realidade.
Ao fim de tudo, caso não seja revogado o ato, o caminho será paralisações do serviço público como forma de sensibilizar a gestão atual, a câmara de vereadores e a comunidade em geral, diante do fato inusitado e inédito em nosso Município.
Imagem:web

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

NOSSO 7 DE SETEMBRO A SER CONQUISTADO

Hoje é 7 de setembro. E em Itaberaba a independência tão sonhada não veio. Destarte, a opção ideológica a grupos políticos que estiveram/estão no poder, seja de uma ideologia ou de outra, em pouco ou quase nada contribuiu para se dar sentido a uma verdadeira independência. Aliás, isto é o que menos importa no contexto atual, quando se ver todos os dias, nos meios de comunicação, as coligações e conchavos entre o pessoal da esquerda e o da direita. Em contraste a isto, temos crianças com os pés no chão, fome, miséria, aumento da criminalidade, o desmatamento virulento, desmandos administrativos, a crise na saúde e na educação e o poder capitalista se fortalecendo, apesar das crises econômicas. Tudo isto como fatos naturais e monolíticos. Como se não fosse algo construído pelo homem e que, avaliando direito, permissível por aqueles que detêm a caneta.
7 de Setembro poderia representar a autonomia do Brasil, mas todos nós conhecemos que foi uma manobra, quando Pedro, um português,apoiado pelas elites, utilizou do contexto para se manter no poder, garantindo ao próprio filho, D. Pedro II, o controle dos Bragança sobre o País, quando outras nações do continente adotavam regimes de governo, que não o monárquico.Estávamos na contramão. Assim, não muito diferente, no nordeste, nos dias atuais, a independência ainda passa longe. Continuamos vendo os mesmos vícios políticos de outrora, da época do coronelismo ou dos Bragança, em que estes detinham grande influência sobre a população do campo e da cidade.
Mas o que sobra para o povo ao fritar dos ovos? Apenas a lição de que a independência não é algo oferecido, é algo a ser conquistado. Todos os dias. Não precisa ser uma conquista fenomenal - transformações políticas, econômicas- mas das coisas mínimas, aos quais estamos subordinados, desde a relação na família, junto às igrejas, no trabalho, nas relações sociais, etc. Em outras palavras, não podemos nos conformar,pois é isto o que querem aqueles que se apresentam como líderes, como chefes políticos, ao tentar inculcar a ideia de que sempre precisaremos de um guia. No Brasil, na Alemanha, na Itália e tantas outras nações chefes políticos autoritários e populistas não adotaram esta tática? E qual foi o resultado?Todos nós sabemos, resultou em destruição, as mínimas, inerentes ao próprio país, e as máximas, nas grandes guerras mundiais. E o povo mais uma vez foi a massa usada para (des)arrumar o contexto o qual se delineava.
Hoje é 7 de setembro, mas o que conquistamos? Podemos dizer que quase nada. Mas podemos também dizer que paulatinamente temos conquistado muita coisa; a retomada da democratização na década de 80 é um exemplo desta conquista paulatina. Do esforço comum, e não de um punhado de escolhidos. A conquista só representará autonomia, se conseguirmos entender que somos parte desta construção, que tecemos a teia do nosso destino e da nossa história – deste modo somos capazes ; pensar nisto é importante, caso contrário o 7 de Setembro (simbolicamente menos importante do que as Redemocratizações e há argumentos de sobra para justificar isto) e a retomada da democracia na década de 1980 serão apenas vistos como marcos teóricos, voláteis, sem significado preciso, apenas algo mítico ou folclorista. Há, portanto, muito para ser feito em Itaberaba, na Chapada Diamantina e no Brasil; cada pessoa, independente da crença, da condição social, do grau de instrução, tem o dever de contribuir a seu modo (organizada em sindicatos, associação de bairro, no movimento estudantil,agrário,religioso,em grupos autônomos, etc. ) para garantir o nosso definitivo 7 de Setembro, sem cair no erro de ser guiada por um pseudochefe personalista ou por grupos político-partidários que objetivam tudo, exceto permitir integramente às massas o poder de decisão e soberania sobre o seu modo de vida em sociedade.

domingo, 6 de setembro de 2009

O NOSSO 7 DE SETEMBRO É TODOS OS DIAS!

Por isso a luta continua...isto é progresso!
Um recorte das lutas do SINDSERVI (2008) : AVANÇOS, RETROCESSOS E PERMANÊNCIA. Uma das reuniões do SINDSERVI no gabinete da Prefeitura.
Pais de alunos , diretoria do SINDSERVI, conselho municipal de educação e secretaria de Educação discutem a greve de 22 dias : prestando conta à comunidade.
SINDSERVI - no pátio da Prefeitura.
Assembléia: pauta do dia: greve!
A praça é do servidor: o banco e os servidores sem dinheiro.
Invadindo o banco de serviços da prefeitura.
Ao lado do Ministério Público. Para mostrar que todos somos responsáveis por uma sociedade mais digna.
SINDSERVI organizando os servidores: protesto pelas ruas de Itaberaba.
O pessoal da Saúde dando exemplo de profissionalismo: lutando por condições de trabalho e fazendo sua parte.
Portões fechados para o trabalhador...Nas eleições sempre é diferente.
Uma conquista por dia; as vezes derrotas...O que importa é a união.
Nosso cartão de visita nas ruas de Itaberaba.
Trabalho de base junto aos enfermeiros nos PSFs. Na paróquia, o SINDSERVI esclarece o motivo da greve em 2008 aos pais de alunos da Zona rural. Um click em frente a TV ITAPOAN, em Salvador:  o SINDSERVI protesta mais uma vez!
Servidores denunciando o caos nos serviço público : falta de transporte escolar, saúde e incerteza no pagamento dos salários do mês de dezembro.
No Programa Balanço Geral o SINDSERVI denuncia a situação caótica do Municipio (2008).
Nas ruas do centro , servidores denunciam descasos e param o trânsito.
De mãos dadas, no pátio da prefeitura, os servidores lutam por dignidade e direitos.
Invadindo o Pátio da Prefeitura na busca por direitos.
Em evento promovido pelo SINDSERVI/ APLB-CHAPADA na Câmara de Vereadores (Momento dos candidatos a vereadores apresentarem propostas de trabalho para o povo)

Fonte: imagem/bandeira/ web