terça-feira, 16 de agosto de 2011

ESCOLAS PÚBLICAS DE ITABERABA PARALISAM SUAS ATIVIDADES

Escolas da rede municipal e do Estado no Município de Itaberaba paralisaram mais uma vez suas atividades, hoje (26), por vinte e quatro horas, em adesão à Paralisação Nacional pela Educação. Esta paralisação a nível nacional visa garantir o pagamento do piso salarial aos professores, com 40 horas, onde os mesmos não podem receber menos do que R$ 1.187,00 mensais. Muitos Municípios não cumprem a lei, o que tem gerado insatisfação da categoria pelo o País afora.

Em Itaberaba, na esfera municipal,  o piso foi regularizado em Maio, a partir da luta e negociações do SINDSERVI, sindicato da categoria. Havendo também o pagamento retroativo da diferença do piso do período janeiro a abril. Porém esta medida não impede a paralisação dos servidores e das escolas, pois há muito para ser reivindicado em nome da Educação. No caso local, falta, por exemplo, o Plano de Carreira e Cargos do Magistério atualizado, e a escolha de diretores e vice-diretores a partir da decisão da comunidade escolar. Existia de forma democrática, porém a gestão atual do prefeito João Almeida Mascarenhas Filho (Democrata), em um giro de 360 graus de puro retrocesso, e passando por cima de todos, passou a desrespeitar a lei municipal, a apenas indicar via Secretaria de Educação os nomes destes diretores e vice – diretores, tirando assim, da comunidade escolar, o direito de se escolher os gestores escolares pela via do voto.

Busca-se também nesta luta, em relação à Paralisação Nacional da Educação, garantir recursos para a educação em torno de 10% do PIB (Produto Interno Bruto), ao contrário dos 7% defendidos nas ações do Plano Nacional  da Educação (2011 a 2021), assim como defendem a CNTE (CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO) e a UNE (UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES). É fato, que mesmo os 10% ainda estão abaixo das reais expectativas do país, considerando o seu atraso quanto ao desenvolvimento da educação e se comparado a outras nações, que colocam a educação como prioridade. Mas já é um começo.

sábado, 13 de agosto de 2011

NÃO MATEM O RIO PIRANHAS¹

O Rio Piranhas, um afluente do Rio Paraguaçu, que em língua indígena significa mais ou menos “tesoura que corta a pele” é um belo  rio de água salobra que rasga o Município de Itaberaba e quebra a monotonia da paisagem do semi-árido baiano. Suas águas, durante o período de chuvas (ou das chamadas “trovoadas”), são requisitadas para pescaria, nado e passeios de barcos.

Rio Piranhas/Itaberaba-Ba

Mas como todo rio atualmente, sofre o efeito devastador das civilizações, o Piranhas não ficou de fora. As suas margens, por exemplo, no Município de Itaberaba, denunciam o descaso, com todo tipo de lixo ali jogado. São infinitos também, os litros de esgotos (dejetos) jogados em suas águas pelas residências e até por hospitais. O verde por sua vez acaba disfarçando e camuflando este perigo.

Ponte sobre o Rio Piranhas - Itaberaba -BA
Margens do rio no sentido do Açude Juracy Magalhães

Lixo nas margens do Rio
Esgoto no Rio Piranhas

Mas o que tem feito a população e as autoridades para combater isto?

Sinceramente, acreditamos que nada! Apenas um ou outro abraço ao redor do Açude Juracy Magalhães – extensão deste rio-, quando se há um evento em defesa da Natureza, e fica por ai.

Enquanto não metemos a mão no bolso para defender os nossos mananciais, preferindo gastar recursos vultosos com estádios de futebol, como os da Copa do Mundo de 2014, vamos vendo um espetáculo da natureza como este ser destruído vagarosamente, o que é lamentável e irracional. Seria também interessante a população fazer a sua parte, evitando jogar todo tipo de lixo ou esgotos neste rio, pois acaba afetando a natureza, e colabora para mostrar (ou denunciar) o tipo de cidadãos que verdadeiramente somos! Portanto, NÃO MATEM O  PIRANHAS!


Pode ser um cartão - postal de Itaberaba?
¹Conheça mais sobre o Rio Piranhas lendo o artigo "Análise da Antropização e Seus Impactos Negativos na Bacia do Rio Piranhas, Afluente do Paraguaçu" ( SILVA FILHO, Manoel da; MASCARENHAS, Maria Helena de Almeida; SILVA, Yara Simone Rocha Santana da. Análise da Antropização e Seus Impactos Negativos na Bacia do Rio Piranhas, Afluente do Paraguaçu. In Prova Material, v.1, nº 12, junho de 2009, Salvador, Departamento de Politécnica,2009. pp. 10-18. Disponível em:http://www.dpt.ba.gov.br/arquivos/downloads/provamaterial/ProvaMaterial012.pdf. Acesso em 13 ago 2011), que, entre outras questões, foca nos impactos ambientais e possíveis proposições para equacionamento destes mesmos.